Quem sou eu

Minha foto
BELO JARDIM, NE/Pernambuco, Brazil
"... O sonho pelo qual brigo, exige que eu invente em mim a coragem de lutar ao lado da coragem de amar..." Paulo Freire Educador pernambucano

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

"POESIA NOSSA DE CADA SEMANA"

Morder o fruto amargo
E não cuspir,
Mas, avisar aos outros o quanto é amargo.
Cumprir o trato injusto e não falhar,
Mas, avisar aos outros quanto é injusto.
Sofrer o esquema falso e não ceder
Mas, avisar aos outros quanto é falso.
Dizer também que são coisas mutáveis...
E em quando em muitos a noção pulsar.
_ Do amargo e do injusto
E falso por mudar,
Então confiar à gente exalta o plano
De um mundo novo e muito mais humano.
(Geir Campos)

FILOSOFIA DIÁRIA

"Nunca duvide que um pequeno grupo de pessoas conscientes e engajadas possa mudar o mundo, de fato, sempre foi somente assim que o mundo mudou."
(Fritjof Capra - filósofo austríaco - autor de Ponto de Mutação)

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Escrito por Artur Henrique

19/11/2008

"O ministro perdeu uma grande oportunidade de ficar calado", diz Artur, comentando proposta de reforma trabalhista

O ministro Tarso Genro perdeu uma grande oportunidade de ficar calado. A CUT quer a manutenção e ampliação de direitos trabalhistas. Ampliação compreendida como maior abrangência dos instrumentos de proteção social e também como inclusão de mais brasileiros e brasileiras no mercado de trabalho decente.

O ministro erra ao defender mudanças na legislação trabalhista, por desconsiderar que momentos de crise, como o atual, são sempre usados por neoliberais em geral para, no embalo do clima de temor, propor rebaixamento das condições de vida e de trabalho daqueles que não construíram a crise mas, ao contrário, constroem o desenvolvimento nacional.

Ao falar em novas formas de trabalho, Tarso Genro esquece de dizer que essas formas são, quase sempre, formas de trabalho precário. Além disso, nos anos 1990, formas de flexibilização como o banco de horas, a terceirização, os contratos por tempo determinado e outras foram apresentadas à sociedade como instrumentos que aumentariam a oferta de empregos, e o que se viu foi o contrário.

O ministro também parece ignorar o perfil conservador de grande parte dos agentes econômicos e políticos, que logo seriam atiçados pela sugestão de reforma - como de fato já ficaram, a começar pelo ex-presidente FHC que, segundo matérias publicadas nesta quarta, acompanhou com prazer a fala de Tarso Genro. Um exemplo de como parte do Congresso costuma tratar de legislação trabalhista é o PL 4302/98, ressuscitado recentemente e cujo objetivo é abrir caminho para institucionalizar a precarização das relações de trabalho. Na mesma linha, o Ministério do Trabalho e Emprego está propondo, neste momento, projeto que, sob o pretexto de regulamentar a terceirização, criaria um verdadeiro salve-se-quem-puder.

Queremos lembrar ainda ao ministro da Justiça e seus entusiastas que o Congresso Nacional está devendo para a sociedade a votação do projeto de Reforma Sindical, que lá repousa sem apreciação desde 2005. Esta reforma deve preceder qualquer discussão sobre legislação trabalhista, e é essencial para reorganizar a estrutura representativa da classe trabalhadora, dando-lhe autonomia, liberdade - traduzidas pela Convenção 87 da OIT -, maior poder de mobilização e negociação a partir da organização e representação sindical nos locais de trabalho - como previsto pela Convenção 135, já ratificada no Brasil mas não cumprida -, garantia de negociação coletiva no setor público, conforme a Convenção 151, e contrato coletivo nacional.

Fique certo o ministro que, assim como fizemos durante os anos FHC, enfrentaremos qualquer tentativa que se faça para flexibilizar direitos.

Artur Henrique,

presidente nacional da CUT

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

CULTURA, CONSCIÊNCIA & TRANSFORMAÇÃO.

"A cada dia fica mais claro que a produção simbólica articula comunidades, produz movimentos, desperta rebeldias e inventa futuros. Mas a relação entre cultura e transformação social é muito mais profunda que a vã filosofia dos que se apresentam à "politizar as rodas de samba"... (Eleilson Leite).

A cultura é por si geradora de desenvolvimento na medida em que estimula processos criativos, individuais ou coletivos. Todo ser humano tem potencial criativo e por isso é um agente cultural em potencial.
A cultura é a expressão da criatividade humana. É a produção simbólica de um grupo, uma comunidade, um povo. A arte é apenas uma dimensão da cultura, e têm suas próprias materialidades.
Compreendo no entanto, que artistas, arquitetos, intelectuais, produtores de bens artísticos, o cidadão, a cidadã... mesmo excluídos do processo de decisão das políticas públicas das áreas de cultura, têm o compromisso de resgatar a reflexão sobre as práticas culturais e a imagem da cidade em que vive. Compreendo ainda, que é nossa a responsabilidade de melhorar o lugar onde vivemos. Uma cidade sem poesia, sem memória e sem história é um abismo de simulacros e referências artificiais. E não se pode imaginar o futuro sem descortinar o patrimônio nela guardado.

"...A cultura na qual estamos mergulhados é responsável por essa cidade que estamos edificando..." (Almandrade - artísta plástico e mestre em Desenho urbano).

Aqui em Belo Jardim, infelizmente estamos edificando a cidade da especulação imobiliária, da disputa por metros quadrado das nossas praças que estão aceleradamente sendo transformadas em bares, como se essas praças fossem apenas uma mercadoria e não um lugar de convivência e de liberdade!

Artistas, produtores de artes, cultura... A nossa cidade tem muito, o que nos falta são espaços, investimentos e vontade política para implementá-las.


Adilza Cristina
Especialista em Programação do Ensino de História
Sec. de Form.Política do PT
Militante dos Movimentos Social e Sindical.


BEM VIND@S!

O nome do Blog: Alfinetes & Bombons, é o mesmo de uma obra de Mauro Mota, publicado na década de 80, o tema do livro é a auto-ajuda, o que não é a nossa proposta neste trabalho.
No entando, será um prazer tê-l@ a bordo nesta nova plataforma tecnológica, aqui poderemos promover conversações, debates ... "quase em tempo real".

Assim, te convido a visitar cada um dos connteúdos, bem como a sua colaboração com críticas, textos e sugestões.

O nosso objetivo é o de utilizar este espaço oferecendo os Bombons para as coisas boas , e, paralelamente, alfinetar as coisas ruins que acontecem em nossa cidade.

Este é um espaço dedicado ao debate sobre:
Cidadania & Cultura.